Império da Tijuca já tem seu hino para 2018

05/09/2017

Texto: Geissa Evaristo

Após uma disputa acirrada, a Império da Tijuca definiu na tarde do último domingo, 3 de setembro, o hino que cantará na Marquês de Sapucaí na sexta-feira de carnaval, quando levará para a Avenida o enredo "Olubajé: Um Banquete para o Rei" de autoria e desenvolvimento dos carnavalescos Jorge Caribé e Sandro Gomes. A festa aconteceu na quadra, situada no Morro da Formiga, em noite recheada de emoção. Com a casa lotada, a agremiação recebeu além dos imperianos, a presença de personalidades do carnaval. A parceria dos compositores Márcio André, Elson Ramires, Nuiá Rodrigues, Paulo Lopita 77 e Samir Trindade foi anunciada como a grande vencedora. O samba teve ainda participação especial de Neyzinho do Cavaco e J Carlos.

Foram 14 obras que se inscreveram para o concurso. A safra de sambas da Verde e Branca da Tijuca para o Carnaval 2018 foi intensamente elogiada, através do tema afro, característica onde a escola realiza seus melhores desfiles. Numa noite em que as quatro parcerias finalistas fizeram apresentações para entrarem na história da agremiação, a festa ficou ainda mais completa após o anúncio do resultado do samba vencedor. Com o campeonato, o compositor Márcio André que é nascido e criado na Tijuca, passa a assinar quatro sambas na escola, enquanto o poeta Samir Trindade, autor do samba "Negra, Pérola Mulher" do Carnaval 2013, no qual a agremiação ascendeu ao Grupo Especial com o campeonato da Série A, passa a assinar dois sambas-enredo.

Foi uma noite de grande show no Morro da Formiga. A festa começou cedo. A partir das 16 horas a quadra já recebia o público que lotou a quadra da agremiação. Laynara Teles, rainha de bateria, passistas, casais e mestre-sala e porta-bandeira, baianas e velha guarda alegraram a quadra ao som do intérprete Daniel Silva, acompanhado da bateria Sinfonia Imperial. Diversos sambas que entraram para a história verde e branco foram cantados. Finalizando o show, todos se despediram do samba que embalou a escola em 2017. Diversas personalidades do mundo samba estavam na quadra, entre elas, a porta-bandeira da Beija Flor de Nilópolis, Selminha Sorriso, que foi destaque no último carnaval e também será no próximo. Renato Thor, Bruno Mattos, Simone Drumond, Raphael Rodrigues, Nino do Milênio, Philipe Lemos, entre muitos outros também marcaram presença.

A Império da Tijuca prepara a tarde do dia 17 de setembro para homenagear todos os compositores inscritos no Concurso e apresentar oficialmente o hino 2018 na voz do intérprete Daniel Silva. A partir das 13 horas haverá o "Angu Imperial", no qual a presidente da ala dos compositores, Valéria Amorim entregará diploma de honra ao mérito aos poetas.

Ouça o samba campeão da Império da Tijuca aqui.

Segue a letra do samba:

Quando Nanã gerou

Entregou seu filho a Yemanjá

Com todo amor ela cuidou

E lhe curou, na imensidão do mar

Salve o esplendor brilhante da manhã

Do filho iluminado de Oxalá e Nanã

Ele voltou...

Caçador, feiticeiro, bom de guerra

Batizado Senhor do Sol e da Terra

Obaluaiê Jêjê Nago, É Oluaiê, chama e calor

A cura de todo mal cobriu na palha

Pode ter fé a magia do velho não fala

Sapaktá tribo dos ancestrais

Reinam mães senhoras e os Orixás

Ossain, nas folhas o poder

Iroko, Yewa, Arroboboi Oxumarê

Eu quero ver Omulu dançar

No Opanijé com o seu xaxará

Tem pipoca no alguidar, mandingueiro

Sinfonia Imperial chegou no terreiro

Atôtô Obaluaiê, meu pai, vem nos valer

O banquete para o Rei vamos te oferecer

Espelho de gente guerreira

Que dá o suor na labuta, e faz Olubajé

No Império da Tijuca

Araloko, Araloko Pajuê

Ê Pajuê, ê Pajuê

Vem o Morro da Formiga, vem pra vencer